Rádio Kiriri

A Rádio Kiriri é uma Rádio Indígena Livre que transmite via FM diretamente do Ponto de Cultura da aldeia Mirandela, localizada no município de Banzaê, área de sertão na Bahia. Acreditamos que a existência de meios de comunicação livres são fundamentais para a diversificação de vozes e opiniões na mídia e para efetivação do direito humano à comunicação.

O fortalecimento, preservação e transmissão da cultura indígena, aliada a um modo de comunicação includente, participativo e local, fundamentam o funcionamento e o perfil da programação da Rádio, contribuindo, através da comunicação, com o aumento da pluralidade de opiniões e conteúdos sobre a cultura indígena e sobre os índios Kiriris.

Nossos microfones funcionam como caixas amplificadas, onde as histórias, lendas, saberes, anseios e problemas de toda comunidade são compartilhados e debatidos de maneira participativa e igualitária, respeitando as opiniões e garantindo espaço para que todos possam se expressar livremente.

A programação da rádio deve ser o reflexo da realidade. Deve contribuir para divulgar a cultura, apresentar um olhar diferenciado sobre nossa história e modo de vida e fornecer novos elementos para que o olhar da sociedade possa perceber e reconhecer a diversidade cultural.

Nas transmissões ao vivo e nos programas gravados, priorizamos a utilização de músicas e trilhas sonoras indígenas ou produzidas por índios. Valorizamos as temáticas relacionadas ao nosso dia-a-dia, complementando as informações transmitidas pelos meios de comunicação convencionais a partir do nosso olhar e entendimento. O discurso de preconceito e estereótipos que muitas vezes é difundido pelo veículos de comunicação convencionais assumem um contorno diferenciado nas transmissões da Kiriri FM, valorizando a multiplicidade de idéias e o livre debate, balizado pela realidade e não por conceitos historicamente construídos.

Optamos pelo modelo de Rádio Livre como contraponto ao marco regulatório normatizante, ultrapassado e limitante que fundamenta o funcionamento das rádios comunitárias. Acreditamos na comunicação como um direito que deve ser exercido por todos, especialmente, pelas comunidades indígenas que sempre foram “reféns” do discurso do “outro”. Temos como princípio a utilização exclusiva de Softwares Livres em todo o processo de produção e veiculação de informações.

Incentivar o desenvolvimento de meios de comunicação descentralizados, livres e populares, é uma forma de educação. É mais que proporcionar informação alternativa, é incentivar o desenvolvimento humano, a reflexão e criticidade num mundo em que a troca de informação aparece como riqueza imaterial central para a consciência de liberdade, democracia e cidadania.