Saiba mais

O projeto Conexão Radio Tumbalalá deverá fornecer o instrumental teórico e prático para que os indígenas da aldeia Tumbalalá possam produzir conteúdos radiofônicos a partir de oficinas formativas. Será realizado em dois ciclos complementares e diferenciados em conteúdos de 40 horas cada, que abordarão conteúdos teóricos e práticos e servirão ainda como estratégia de divulgação e mobilização do projeto.

O desenvolvimento do projeto proposto visa replicar as experiências que vem sendo desenvolvidas na Aldeia Kiriri – Mirandela e na Aldeia Tupinambá de Olivença, onde funcionam desde 2012 e 2014, respectivamente, as Rádios Kiriri e Tupinambá, ações que já receberam apoio do Fundo de Cultura da Bahia, Banco do Nordeste do Brasil e Ministério da Cultura. As ações propostas visam a consolidação de veículos de comunicação indígenas independentes e a constituição de uma rede de rádio comunicadores indígenas na Bahia.

O primeiro ciclo de oficina estará reservado ao retorno a Aldeia Tumbalalá e montagem dos equipamentos. A visita será realizada como forma de divulgação do projeto, retomada do contato com as lideranças da comunidade, esclarecimento de dúvidas sobre a proposta, e mobilização social. Reuniões com as principais lideranças e atores sociais locais – professores, médicos do posto de saúde, equipes da FUNAI e FUNASA, lideranças indígenas, responsáveis pelo telecentro -, além da população em geral, serão utilizadas como estratégia de divulgação do projeto. Ainda nesse ciclo serão realizadas atividades de instalação da rádio de baixa potência e webrádio. Através de oficinas práticas e teóricas, os participantes conhecerão os equipamentos necessários para as transmissões, montarão a estrutura de estúdio de gravação e transmissão e conhecerão os Softwares Livres e equipamentos necessários para o funcionamento da rádio e realização de gravação de entrevistas. Ainda nesse ciclo serão realizadas atividades teóricas e discussões acerca da história do rádio, rádios livres, comunitárias, legislação e produção de conteúdos. Este ciclo tem como objetivo introduzir um âmbito teórico acerca das relações entre sons, cultura e técnica. Jogar luz sobre as origens de toda uma produção oral e seus encadeamentos técnicos a fim de constituir um panorama social, para que a prática de produção não venha a ser vazia de significado e conhecimento em relação as origens, características e histórias do lugar. Visa ainda familiarizar os participantes do projeto com os equipamentos e rotinas de funcionamento de uma rádio.

O segundo ciclo de oficinas será voltado para a formação técnica com o uso de Softwares Livres para a gravação, edição, finalização e produção de conteúdos radiofônicos. Nesse ciclo, os participantes conhecerão e serão capacitados para o uso dos softwares de produção de áudio e estimulados a produzir conteúdos nos mais diversos gêneros como vinhetas, spots educativos, rádio novelas, entrevistas, dentre outros. Este ciclo pretende apresentar um panorama geral sobre as ferramentas livres de produção de áudio em Software Livre, assim como abordar temas pertinentes em relação aos registros orais, no que diz respeito ao desenvolvimento tecnológico e cultural nos dias de hoje. Deve fornecer instrumental básico à produção de áudio com o uso do Software Livre e, principalmente, ao compartilhamento do conhecimento gerado a partir da produção de bens culturais livres, proporcionando que os participantes possam produzir suas próprias músicas, trilhas, vinhetas, programas de rádio, etc, e trocar essas experiências entre si. Essa parte da oficina é um laboratório básico para produção de áudio e rádio pelos participantes.

É intenção realizar produções diversas e diferenciadas entre o grupo de participantes tendo como linha de conteúdo a cultura indígena e a história, tradição e saberes do povo Tumbalalá. Para mais informações sobre as oficinas, consultar a ementa em anexo. As atividades formativas terão como produto final a produção de programas colaborativos realizados entre os participantes das oficinas. Divididos em funções específicas para a produção de programa de rádio, os participantes exercitarão os conhecimentos adquiridos no ciclo inicial para produzir programas culturais e informativos sobre a aldeia, sobre os índios Tumbalalá e a realidade que os cerca. O objetivo é que os programas sejam transmitidos ao vivo e que também sejam gravados com as outras produções da oficina para que sejam disponibilizados via internet. Os ciclos serão intercalados por período de 4 semanas que serão dedicadas a experimentação dos conteúdos e práticas compartilhadas.

Todos os conteúdos produzidos ficarão armazenados no site www.radioamnesia.org/tumbalala especialmente criado para o projeto, que contará também com fotos, vídeos, relatos, materiais didáticos, notícias sobre as atividades e sobre os índios Tumbalalá. Todos os conteúdos serão disponibilizados livremente, utilizando licenças de livre compartilhamento sem fins comerciais (creative commons).

Além de disponibilizados pelo site do projeto os conteúdos produzidos serão publicados em outras redes virtuais indígenas, como forma de reconhecimento e fortalecimento das diversas redes que atuam com comunidades indígenas no Brasil. Haverá ainda a possibilidade de interação entre os participantes das oficinas, locutores e programadores e ouvintes através de redes sociais.

Todas as etapas contarão com registro audiovisual e ao final do processo de montagem da rádio e formação dos radio comunicadores indígenas será produzido um vídeo em curta metragem de 15 minutos com o registro das atividades realizadas. Ao final do projeto todos os equipamentos ficarão na Aldeia e o processo de formação continuada com solução de dúvidas e